Lista Alfabética de Termos
ALAVANCA: É ligada à haste da válvula. O comprimento da alavanca é projetado em função do torque necessário para girar a haste de forma a abrir ou fechar a válvula;

ANEL: Um anel feito geralmente de material mais duro ou resistente do que o corpo da válvula, pode ser encaixado internamente através de rosca ou solda e serve para reduzir a erosão entre o corpo e o obturador;

ANGLE VALVE: Válvula Angular;

ATUADOR: Um mecanismo ligado à haste da válvula que permite o acionamento, fechando ou abrindo. Pode ser por meio manual (volante, alavanca) ou por meio automático, que recebe um comando elétrico ou pneumático;

BLEED: A ação de drenar líquidos ou aliviar a pressão, de uma parte da tubulação ou compartimento de equipamento;

BLEEDER: A válvula que é utilizada na operação de "Bleed";

BLEED PORT: Um orifício na tubulação ou equipamento que permite a saída do fluído a ser drenado;

BLOW DOWN VALVE: Uma válvula de abertura rápida. Esta válvula, quando instalada em caldeiras de vapor, permite que um jato de vapor em alta velocidade passe pela tubulação da caldeira, limpando assim o acúmulo de sais e outras impuresas;

BLOW OFF VALVE: Veja Blow Down Valve;

BONNET: Veja Castelo;

BY-PASS: Um desvio ou passagem auxiliar utilizado para desviar o fluxo do fluído em volta de uma válvula de controle ou para equilibrar a pressão nos dois lados de uma válvula antes de abrí-la;

CÂMERA DE AR: Veja Câmera de Equilíbrio;

CÂMERA DE EQUILÍBRIO: Uma câmera de ar ligada à tubulação para absorver ondas de choque causadas pelo golpe de ariete; Uma câmera de ar ou gás ligado ao corpo de uma válvula de controle para amortecer flutuações no fluído; Uma câmera de ar ligada num ponto alto da tubulação ou adutora com descida longa. Sem esta câmera de ar, o fluído poderá causar um vácuo no tubo suficiente para danificá-lo e ainda válvulas ou bombas;

CARACTERÍSTICA DO FLUXO: Uma relação entre a porcentagem do movimento da haste de uma válvula e o fluxo que passa;

CASTELO: A parte superior de uma válvula que fecha o corpo. O castelo também atua como guia e suporte para a haste;

CASTELO ROSQUEADO: Um castelo com rosca macho, casando com a rosca do corpo da válvula, geralmente usada em válvulas de baixa pressão;

CAVITAÇÃO: A condição num fluído, quando a pressão local cai abaixo do ponto de vapor causando a formação de bolhas de vapor dentro do fluído. Esta condição é comum em válvulas quando operadas parcialmente abertas, aumentando muito a corrosão;

CHAINWEEL: Veja Corrente;

COCK: Apelido das válvulas tipo macho de pequeno diâmetro, geralmente com as extremidades rosqueadas;

COEFICIENTE DE FLUXO: A quantidade de galões americanos (USGPMI) de água com temperatura de 60° F, que podem passar por uma válvula, causando uma perda de carga de 1 PSI;

CONTROLE AUTOMÁTICO: Quando uma válvula de controle é auto-reguladora, não precisando de ajustes manuais;

CONTROLE REMOTO: Quando uma válvula de controle é operada à distância;

CONTROL VALVE: Veja válvula de controle;

CORROSÃO: Ataque eletroquímico do fluido em contato com a superfície metálica da válvula ou conexão;

CORRENTE: Um conjunto de corrente e volante especial. É utilizado quando uma válvula manual é locada numa posição alta e de difícil alcance, permitindo que ela seja operada do chão ou plataforma, puxando-se a corrente;

CRIOGENIA: Um sistema que opera em temperaturas que chegam até quase zero absoluto; Na prática, o termo é utilizado em sistemas com temperaturas bem abaixo de zero grau;

CUNHA: A parte de uma válvula contra a qual o elemento de fechamento é prensado. O nome "cunha" é mais apropriado em válvulas tipo gaveta, sendo que em outros tipos esta parte da válvula é chamada de "assento";

DASH POT: Um amortecedor feito de um cilindro cheio de fluido (pode ser de óleo) e um pistão dentro do fluido. O amortecimento é feito com óleo viscoso deslocando entre o pistão e as paredes do cilindro. Este amortecedor é utilizado em algumas válvulas tipo retenção para que não fechem abruptamente;

DIAFRAGMA: Membrana de material flexível, utilizada como componente de fechamento numa válvula "tipo diafragma";

DISCO: A parte circular de uma válvula que obstrui o fluxo do fluido;

DISCO DE RUPTURA: Um disco fino, colocado num ramal da tubulação, projetado para romper-se se a pressão do sistema ficar perigosamente alta. O material deste disco pode ser de borracha para pressões baixas ou metálico para pressões mais altas;

DISCO DUPLO: O disco utilizado em alguns tipos na válvula de gaveta. O disco é fabricado em duas peças conjuntas de uma maneira que cada disco pode alinhar-se com os anéis da cunha, independente um do outro;

DISCO SÓLIDO: O disco de uma válvula tipo gaveta fabricada de uma peça só;

DOUBLE BLOCK AND BLEED: Um conjunto de duas válvulas de bloqueio com um dreno entre elas. É utilizado para separar dois fluidos que não podem entrar em contato. As duas válvulas de bloqueio são fechadas, e o fluido na linha entre elas é retirado pelo dreno. Este dreno é deixado aberto para verificar qualquer vazamento. Se houver, o vazamento sai pelo dreno e não mistura com outro fluido; Existem válvulas de construção especial que fazem esta operação com um único corpo;

ESFERA: Tipo de válvula onde o obturador é uma esfera com passagem central para o fluxo do fluido; Uma esfera de material metálico ou plástico utilizada em válvulas de retenção tipo esfera para fechar a abertura circular na ocorrência de inversão de fluxo; Uma bola ou esfera, que é injetada dentro da linha para limpeza da tubulação, ou para separar fluidos diferentes que estão sendo bombeados. Também chamados de porcos ou raspadores (pigs ou scrapers);

EXCESS FLOW VALVE: Veja válvula de fluxo excessivo;

EXHAUST VALVE: Veja válvula de exaustão;

EXPANTION VALVE: Veja válvula de expansão;

EXTREMIDADES: As extremidades de uma válvula ou conexão que são usadas para a ligação com a tubulaçao ou equipamento. Os tipos incluem flangeada, rosqueada, soquete para solda e chanfrada para solda de topo;

FACE A FACE: A dimensão da válvula entre as extremidades. Esta dimensão é padronizada por várias normas;

FACEAMENTO: O tipo de acabamento na face dos flanges;

FACE COM RESSALTO: Um tipo de faceamento num flange que possui a coroa circular dos parafusos elevada. Esta elevação tem em geral 1/16 ou 1/8 de uma polegada e permite uma força maior a ser exercida sobre a junta. Veja figura;

FACE PLANA: Um tipo de faceamento num flange que não possui ressalto. Veja figura;

FAIL VALVE Uma válvula de controle, que na falha de energia, abre ou fecha a válvula na posição predeterminada.

F.F.: Veja face plana;

FIRESAFE: Termo inglês para prova de fogo, utilizado principalmente em válvulas tipo esfera onde o anel de vedação é de material plástico que pode derreter com o fogo mas, possui um anel secundário de material metálico que não derrete com o calor do fogo;

FLAT FACE : Veja face plana; (F.F.);

FLAT RING: Termo inglês para junta em anel; Tipo de junta possuindo as seguintes dimensões: Diâmetro interno da junta é igual ao diâmetro externo do tubo e diâmetro externo da junta é igual ao diâmetro da furacão do flange menos o diâmetro do parafuso;

FLOAT VALVE: Veja válvula bóia;

FLOW CHARACTERISTIC: Veja característica do fluxo;

FLOW COEFICIENTE: Veja coeficiente de fluxo;

FLOWMETER: Veja medidor de fluxo.

FOLE: Um cilindro metálico corrugado de parede fina com alta qualidade de flexibilidade. Usado em válvulas para isolar o castelo e/ou haste do fluido, onde qualquer vazamento destes seria psrigoso; Um cilindro metálico corrugado com alta qualidade de flexibilidade utilizado em juntas de expansão;

FLUIDO: O estado de material que permite fluxo, como gás líquido e sólidos granulados. Um engano bastante comum é pensar que o fluido somente se refere a líquidos;

FLUXO LAMINAR: A condição de fluxo onde o movimento do fluido fica em linhas paralelas dentro do tubo ou válvula, e as camadas não se misturam; Este estado acontece com velocidades muito baixas do fluxo e com viscosidades altas;

FLUXO TURBULENTO: A condição de fluxo onde o movimento do fluido provoca a mistura das partículas entre si. Esta é a condição de fluxo mais comum em tubulação;

FOUR WAY VALVE: Veja válvula de quatro vias.

FRICÇÃO DO FLUIDO: A resistência de movimento que as partículas do fluido têm entre si, causada pela própria atração que possuem, e está ligada com a viscosidade do fluido;

FULL FACE: Termo inglês para junta com face plena; Tipo de junta possuindo as seguintes dimensões: Diâmetro interno da junta é igual ao diâmetro externo do tubo e diâmetro externo da junta é igual ao diâmetro externo do flange;

GAXETA: Tipo de material usado para verdar a haste contra vazamentos no castelo. A gaxeta é pressionada pela preme gaxeta;


GLAND
: Veja preme gaxeta;

HASTE: A peça da válvula que liga o obturador da válvula com volante ou acionador;

HASTE ASCENDENTE: O tipo de haste que levanta junto com o disco quando abre a válvula;

HASTE FIXA: O tipo de haste que gira dentro da válvula sem que levante. A base da haste é rosqueada, e o disco que não gira ascende nesta rosca;

HASTE NÃO-ASCENDENTE: Veja haste fixa;

HASTE QUEBRADA: Um tipo de haste para válvulas em serviços criogénicos ou radioativo para isolar a parte da mesma exposta à atmosfera;

INSIDE SCREW: Veja rosca interna;

INTERNOS: As peças internas de uma válvula como a haste, disco e anéis do assentamento, e que estão mais sujeitas à erosão ou corrosão;

JTA: Veja junta tipo anel;


JUGO: O suporte da haste e volante que fica fora do corpo da válvula, permitindo que o volante gire e a haste suba no meio, sem que este gire. Utilizada em válvulas com haste ascendente e rosca extema;

JUNTA: O material utilizado entre duas superfícies para não permitir vazamento entre eles. O material desta junta sempre deverá ser de material menos duro do que o das superfícies;

JUNTA TIPO ANEL - Um tipo de junta que forma um anel, de seção octagonal ou oval, que entra num rebaixo de meia seção na superfície dos flanges. Utilizado em flanges de sistema de alta pressão. Veja figura;

LAP OU LAPPING: O polimento da superfície dos anéis ou cunha da válvula. Pode também ser aplicada ao polimento de qualquer superfície;

LIFT CHECK VALVE: Veja válvula de retenção tipo portinhola;

LUG: Um anel ou orelha geralmente encontrado nas válvulas borboleta, onde a seção é maior que o corpo da válvula e possui furos rosqueados para a fixação da mesma;

MACHO E FÊMEA: Um tipo de faceamento entre duas superfícies de flanges, onde um deles (o macho) possui uma face levantada e que penetra no outro (a fêmea) que possui a mesma parte rebaixada. Usada em flanges de sistemas de alta pressão para segurar a junta contra extrusão. O flange macho em alguns diâmetros e pressões é intercambíável com flanges com ressalto;

MALE AND FEMALE - Veja macho e fêmea;

MEDIDOR DE FLUXO: Um instrumento que mede o fluxo do fluido dentro da linha. Pode ser do tipo instantâneo ou cumulativo;

NC: Abreviação para normaly closed {veja normalmente fechada);

NEEDLE POINT VALVE: Veja válvula de agulha;

NEEDLE VALVE: Veja válvula de agulha;

NO: Abreviação para normaly open (veja normalmente aberta);

NON RISING STEM: Veja rosca intema;

NORMALMENTE ABERTA: Indicação no fluxograma ou desenho de uma válvula que fica na posição de normalmente aberta. A indicação pode ser abreviada pelas letras NA (em inglês NO);

NORMALMENTE FECHADA: Indicação no fluxograma ou desenho de uma válvula que fica na posição de normalmente fechada. A indicação pode ser abreviada pelas letras NF (em inglês NC). No campo, estas válvulas deverão ter o volante removido ou o volante cadeado para evitar abertura por engano;

NORMALY CLOSED: Veja normalmente fechada;

NORMALY OPEN: Veja normalmente aberta;

NRS: Abreviação para non rising stem (veja rosca interna);

ORIFÍCIO: Uma restrição cujo comprimento é pequeno em relação ao diâmetro;

OS & Y: Abreviação de outside screwand yoke (veja rosca externa, jugo e o desenho);

PACKING GLAND: Veja preme gaxeta;

PAPER STOCK VALVE: Uma válvula tipo guilhotina fabricada especialmente para polpas grossas, como polpa de papel;

PARAFUSO DE AJUSTE: Um parafuso utilizado para ajustar a compressão da mola dentro de uma válvula de alívio ou de controle; Um parafuso utilizado para lubrificar as ranhuras em volta do plug de uma válvula tipo macho. O parafuso é apertado, causando uma pressão hidráulica sobre o depósito do lubrificante, causando, assim, o fluxo do mesmo;

PINCH VALVE: Veja válvula tipo mangote;

PISTON CHECK VALVE: Veja válvula de retenção tipo pistão;

PLENIUM CHAMBER: Uma câmara auxiliar de gás utilizada para amortecer a ação de um atuador;

PLUG: A parte cônica numa válvula que obstrui o fluxo do fluido;

POP VALVE: Uma válvula de alívio, geralmente pequena, com uma mola que mantém a válvula fechada. Qualquer excesso de pressão a válvula abre-se automaticamente por completo, e logo quando a pressão diminui, fecha-se;

PORT: A entrada ou saída do fluxo de uma válvula. Qualquer orifício numa válvula onde passa um fluido;

PREME GAXETA: A parte de uma válvula que comprime a gaxeta em torno da haste;
• Preme Gaxeta Rosqueada: Este tipo de preme gaxeta está restrita a uso doméstico e não a válvulas industriais;
• Preme Gaxeta de União: Este tipo de preme gaxeta possui uma rosca tipo macho no castelo, e uma porca com uma bucha dentro que faz pressão contra a gaxeta fazendo a vedação. Este tipo de preme gaxeta é utilizado em válvulas que trabalham com pressões abaixo de 300 libras;
• Preme Gaxeta Parafusada: Este tipo de preme gaxeta possui um flange acima da gaxeta, e é ele quem exerce a pressão sobre a gaxeta fazendo a vedação;


PRESSÃO DE RUPTURA: A pressão máxima que pode ser aplicada ao corpo de uma válvula durante 20 segundos, sem que o corpo apresente ruptura;

PSI: Abreviação para pounds per square inch (em inglês) que significa libras por polegada quadrada (pressão);

RAISED FACE: Veja face com ressalto;

RELEIF VALVE: Veja válvula de alívio;

R.F.: Abreviação para raised face (veja face com ressalto);

RING TYPE JOINT: Veja junta tipo anel;

RISING STEM: Veja haste ascendente;

RMS: Abreviação de root mean square. Uma medida usada para indicar as irregularídades e ranhuras na superfície da face de um flange;

ROSCA ACME: O tipo de rosca utilizada na haste de válvulas. O ângulo nos dentes da rosca possuem 29°, sendo que as roscas normais possuem mais ou menos 60;

ROSCA EXTERNA: O tipo de haste que é rosqueada somente na parte superior. Este tipo de haste é sempre ascendente;

ROSCA INTERNA: O tipo de haste que tem a rosca na parte inferior ou no meio dela. Quando tem a rosca na parte inferior, o disco ou plug sobe na haste. Neste caso, a haste é não-ascendente. Quando a rosca é no meio, esta se casa com outra rosca no castelo, sendo, neste caso, haste ascendente;

RTJ: Abreviação para ring type joint (veja junta tipo anel);

RUPTURE DISC: Veja disco de ruptura;

SAFETY VALVE: Veja válvula de segurança;

SCREW DOWN CHECK VALVE: Veja stop check valve;

SEAT: Veja cunha;

SEAT RING: Veja anel;

SLIDING GATE VALVE: Um tipo de válvula gaveta onde o obturador é uma placa com orifícios que é deslizada contra uma

outra placa também com orifícios com o intuito de alinhar ou desalinhá-los;

SOLID WEDGE DISC: Veja disco sólido;

SPRINKLER: Tipo de válvula utilizada em instalações de combate a incêndio. A válvula abre-se quando um elemento no seu interior é dissolvido pelo calor;

STOP CHECK VALVE: Uma válvula de retenção que pode ser fechada mecanicamente, geralmente por via de uma haste e volante. Este tipo de válvula serve tanto como válvula de retenção como válvula de bloqueio;

STOPCOCK: Veja cock;

SWING CHECK VALVE: Veja válvula de retenção tipo portinhola;

TAMPA: Um flange cego utilizado para fechar o corpo de uma válvula sem haste;

T & G: Abreviação para tongue and grooved (veja tongue and grooved);

THREE WAY VALVE: Veja válvula de três vias;

TONGUE AND GROOVED:Um tipo de faceamento entre flanges, onde um deles (tongue) tem um anel ou língua levantada que penetra em uma canaleta no outro (grooved) flange. Usado em flanges de sistemas de alta pressão;

TRIM Veja intemos;

VÁLVULA: Qualquer mecanismo que tem por finalidade modificar o curso dos fluídos em seus trajetos;

VÁLVULAS EM GERAL: Para a maior parte das válvulas veja o capítulo sobre elas. A seguir serão colocadas somente as válvulas de uso menos frequente e aquelas que ná"o estão incluídas em capítulo separado;

VÁLVULA DE ALlVlO: Uma válvula automática que se abre para aliviar a pressão dentro de um sistema, e depois fecha-se;

VÁLVULA ANGULAR: Válvula tipo globo na qual a entrada e saída são deslocadas 9O° uma em relação à outra.

VÁLVULA DE BÓIA: Uma válvula que é atuada por uma bóia flutuando na superfície de um liquido. Quando o nível do líquido diminui, a válvula abre até o nível do líquido voltar ao normal;

VÁLVULA DE CONTROLE: Uma válvula que regula tais propriedades do fluido como pressão, temperatura ou fluxo. Esta válvula poderá ter um atuador que recebe sinais de um equipamento ou ponto remoto, ou pode ser auto reguladora, recebendo sinais do próprio fluido passante;

VÁLVULA DE EXAUSTÃO: Uma válvula que permite o escape dos gases de exaustão;

VÁLVULA DE EXPANSÃO: Uma válvula de alívio instalada em sistemas fechados para aliviar pressão no caso de expansão térmica; Uma válvula de controle automática com atuador tipo diafragma repleto de um gás com alto teor de expansão. Este tipo de válvula é usado em controle de temperaturas ambientais;

VÁLVULA DE FLUXO EXCESSIVO: Uma válvula que permite fluxo normal dentro da tubulação, rnas em caso de ruptura na linha, quando o fluxo pode aumentar excessivamente, a válvula se fecha automaticamente. Na prática, é uma válvula de retenção tipo disco com uma mola para abrir o disco. A válvula é colocada na tubulação em sentido invertido. O fluxo normal não é suficiente para comprimir a mola e fechar a válvula, mas se o fluxo aumenta, a válvula fecha. Muito utilizada na saída das esferas de gás liquefeito;

VÁLVULA DE SEGURANÇA: Uma válvula utilizada num equipamento ou sistema, regulada para abrir quando a pressão interna atinge níveis perigosos. Principalmente utilizada em vasos de pressão, e regulada um pouco além das válvulas de alívio. Esta válvula é usada para a proteção do vaso e/ou pessoal, e não deve ser confundida com as válvulas de alívio que são válvulas de processo;

VÁLVULA DE TRÊS VIAS: Uma válvula que controla o fluxo ern três direcões simultaneamente. Geralmente do tipo esfera ou macho;

VÁLVULA DE QUATRO VIAS: Uma válvula que controla o fluxo em quatro direcões simultaneamente. Geralmente do tipo esfera ou macho;

VIDA OPERACIONAL: A vida útil de uma válvula ou equipamento, dado em ciclos de operação ou em anos de operação normal;

VOLANTE: A roda ligada á haste da válvula. O diâmetro do volante é projetado em função do torque necessário para levantar a haste;

VOLANTE DE IMPACTO: Um tipo de volante que incorpora um mecanismo que aplica um impacto no início de operação para ajudar a soltar o obturador;

VOLANTE COM CORRENTE: Veja corrente;

VOLANTE MARTELO: Veja volante de impacto;

V-PORT: Uma válvula que tem a passagem do fluxo em forma de "V". Geralmente do tipo esfera ou macho. Utilizada para regulagem de fluxo;

WIRE DRAWING: O tipo de erosão causado pelo fluxo do fluido em alta velocidade em pequenas passagens. Este tipo de erosão é comum em sistemas de alta pressão quando a válvula de bloqueio apresenta um pequeno vazamento que pode ocorrer no seu fechamento, em fluidos como o vapor de alta pressão. A erosão é apresentada como ranhuras paralelas e com fios do metal saindo da sede na direção do fluxo;

WOG: Abreviação em inglês para Water-oil-or gas (água, óleo ou gás) usada para especificar que a pressão nominal da válvula é válida para estes fluidos sob temperatura ambiente;

YOKE: Veja jugo.

Todos os desenhos e imagens encontrados neste website são para efeito meramente ilustrativo

Imprimir esta página
Não encontrou o que procurava? Tente a busca avançada ou faça sua solicitação pelo site
Reportar link quebrado
Visualize o mapa do website para melhor aproveitamento de conteúdo
Recomendar este site
Tel.: (31) 3361-6106 - Email: valaco@valaco.com.br - End.: R. Dr. Edmundo Bitencourt, 106, Contagem / MG
+55 31 99959-3540 Entregamos em toda região metropolitana de Belo Horizonte
   
 
Siga a @val.aco no Instagram